domingo, 12 de junho de 2011

Mãe


Semana que vem será seu aniversário. Setenta e três anos... Lembra-se quando, irritada e cansada, você se zangava comigo e dizia: “você tem a metade da minha idade”, até que um dia, arregalou os olhos quando me ouviu responder que estava enganada e que eu era apenas vinte anos mais nova? Pois é mãe... Somos as duas mulheres maduras agora. Temos nos olhos e nas peles a vida inteira de alegrias e tristezas, de lutas e vitórias. Mas é nos seus olhos que vejo a doce visão do amor incondicional, da entrega abnegada à paciência – mesmo quando a perde – e da facilidade para o sorriso condescendente.
Quantas vezes você nos esperou em sua casa e nós, cheios de outros compromissos, faltamos. Quantos telefonemas você esperou que pudéssemos trocar que não aconteceram. Mas sempre estava lá, altiva e firme como uma rocha, a nos sorrir de volta e compreender, mais do que ninguém poderia.
Quantas vezes comovi-me com as dores que vi em seus olhos corajosos num rosto sereno e manso que tão poucas vezes se queixou.  Cuidava de todos e de tudo como se nada pudesse abalar o tênue equilíbrio que foi conquistando dia a dia durante toda sua vida, mesmo quando, brava e em tons ríspidos, brigava conosco. Sempre havia um bom motivo para isso...
Hoje sei como é estar cansada. Sei como ainda lhe damos trabalho e preocupações, porque assim me sinto com os meus próprios filhos, sabendo que isso será até que eu feche os meus olhos para sempre. Hoje desejo, mais do que nunca, que vocês venham para perto de nós. Ainda mais agora do que desejei quando era mais jovem e quando tinha ciúmes por vocês não virem à minha casa tanto quanto eu queria. 
Hoje desejo cuidar de você, de vocês, como sempre fizeram comigo e com meus irmãos.
Sinto saudades dos cheiros da comida fresquinha e temperada com o seu amor. Morro de vontade de comer aquele sonho de doce de leite que adoro, acompanhado por uma xícara de chá, sentadas à mesa da cozinha, enquanto tricotamos conversas.
Sinto saudades dos cheiros de sua casa, uma mistura de lavanda e mar. Essa sua casa cheia de cores, afeto e luz, mesmo quando o papai insiste em manter portas e janelas fechadas.  Manias, justificamos. Mais paciência pedimos.
Fico sonhando com a época em que poderei almoçar ao menos uma vez por semana com vocês, levá-la ao cinema ou tomar um capuccino num café gostoso em algum shopping, porque sei o quanto você gostaria disso. Mas, sei que esse tempo está próximo. Então, deixará de ser apenas um sonho e se tornará uma linda realidade.
Amo você mãe! 
Quero tê-la ao meu lado ainda por muitos e muitos anos. 
Que você possa vivê-los plenamente, com toda a felicidade que você merece.