quarta-feira, 15 de junho de 2011

Saudades


Pela janela aberta sentia o vento
Às vezes quente, às vezes morno, até frio
De longas viagens, distâncias curtas
Doces olhares e paisagens corrediças

Sim, a vida corre como num ônibus
As paisagens voam
As janelas continuam abertas 
E o vento continua entrando

Leva consigo doces lembranças
Sorrisos meigos
Conversas de entrelinhas
E o vento... Continua entrando...

Mistura de perfumes
Ora doce, ora amargo
Lágrimas que secam
Sorrisos que se calam

E o vento... Continua entrando