terça-feira, 18 de outubro de 2011

O Ovo Azul

Tive um insight interessante... Estava aqui pensando na próxima coisa a ser feita no trabalho e, de repente, tive uma fominha daquelas de fim de dia. Parei de pensar o que estava a pensar e me pus a sonhar com um enorme pedaço de panetone cheio de frutas cristalizadas e com uma generosa camada de manteiga por cima - eu amo manteiga - acompanhado por uma cheirosa xícara de café preto e sem açúcar, que é como eu gosto desde que aprendi a tomar o 'caffè corto' e tão forte que mais parecia um creme... Mas, voltando ao insight... Imaginei o globo terrestre como um grande ovo, daqueles de padaria, tingidos de azul que certamente jamais comeria... Depois fiquei imaginando a raça humana vivendo sobre este ovo e, de repente pensei em como seria difícil a vida então. Cada poro do ovo seria uma grande caverna para seres tão pequenininhos como nós e, para complicar as coisas, esses poros poderiam estar cheios de água, o que impossibilitaria de alguma forma a nossa vida. Então lembrei-me das estórias que os professores nos contavam sobre como viemos da água e como a vida evoluiu desde então. Na época tive muitas dúvidas de como isso poderia ser possível, já que, supostamente, descendemos de um único casal, supostamente amaldiçoado por Deus, que os condenou a uma vida de trabalho duro para subsistirem, e à mulher Eva a partos dolorosos. Claro que a metáfora religiosa calava fundo nos coraçõezinhos infantis que ouviam ávidos as estórias das professoras do Catecismo, em contraste com o Evolucionismo pregado por Darwin. Mas afinal, quem tem razão? A Igreja ou a Ciência?
Bem, voltando ao ovo azul, cheio de poros cobertos de água com poucas possibilidades de proporcionar sobrevivência a pobres seres humanos como nós, lembrei-me do conteúdo dele e de como poderia servir para nos alimentar. Afinal, quanto material alimentício tem um ovo! Retirar este alimento das profundezas da casca do ovo não seria algo tão difícil assim. Afinal, somos seres inteligentes, capazes de desenvolver altas tecnologias, então... Fácil. O conteúdo do ovo serviria para alimentar milhares e milhares de gerações de seres humanos. E um dia acabaria... Pior, deixaria a casca azul cada vez mais frágil e sujeita a rachaduras. O mundo, aquele imenso ovo pintado de azul, quebraria. Não haveria mais o conteúdo milagroso que nos alimentaria... Não haveria mais os poros cobertos de água que tanto nos amedrontavam, mas nos fascinavam e nos mantinham vivos... Oh! O que seria de nós, míseros seres humanos agora à mercê de nós mesmos e de nossa capacidade nem tão ilimitada assim de sobreviver. Para onde ir? O que fazer? Fácil... Mudamos para o ovo ao lado, que está fresquinho e novinho, pintado de cor de rosa e cheio de poros limpinhos e repletos de água. Melhor... Com todo seu milagroso recheio intacto. E voltaríamos a consumir seu interior rico e esvaziar o ovo cor de rosa até que ele, frágil e oco se partisse como o azul e nos obrigasse a nos mudar para outro ovo, um amarelo, quem sabe?
Acho que é isso que estamos fazendo... Estamos consumindo nosso "ovo azul" até que ele fique tão frágil que nos obrigue a nos mudarmos daqui para outro ovo e assim sucessivamente como formigas que simplesmente põem suas crias e fungos nas costas e se mudam para outro buraco quando o anterior esgotou sua capacidade de alimentá-las... Até quando? Só Deus sabe...