domingo, 2 de outubro de 2011

Quinta Feira



De fora, pelo vidro, via luzes brilhantes
Olhando para dentro reparei ares excitantes
Sorrisos dispersos e olhares atentos
Começa enfim o grande evento

Quinta feira... e sempre não é?
Para jantar, jogar, ou apenas um café
Anos e anos que se foram
Rostos amigos que se encontram

Imagens vívidas de vidas idas
Tempo que o tempo não levou
As marcas dos rostos um dia lisos
Feitas de vida, lutas e muitos risos

Sonhos compartilhados ou solitários
Pequenas promessas de crianças
Simples itens de biografia
Cobradas, na vida, nostalgia...

Que venham outras quintas feiras
Em incontável número
Encontros sem desencontros
E nesse caso, muitos nunca é exagero