terça-feira, 8 de novembro de 2011

Assim como o Chico

Acordei hoje com o Chico Buarque na cabeça. Não resisti e liguei o som - em alto e bom som - e ouvi detidamente as músicas com suas letras maravilhosas...
Resolvi que "apesar de mim", o dia amanheceu lindo, sem névoas, sem sombras, sem dúvidas... Resolvi que, "apesar de mim", a vida pode e deve ser linda, vivida plenamente, sem medos, sem pecados... Sem monstrinhos embaixo da minha mesa ou dentro dos armários...
E quando ouvir um "eu te amo" saberei que vou romper com o mundo... com um mundo estranho, de sonhos escuros, de visões nebulosas.
Quero violar os meus ouvidos e ouvir segredos lindos e indecentes, quero ficar maluca, mas quero que meu corpo seja testemunha de um Bem feito de carinho, de amor e de afeição.
Nas rodas da minha vida, quero ser um grande pião a rodar como em uma roda de samba, como as voltas do meu coração insano e aflito e quero também inventar o meu próprio pecado e não me embriagar até que alguém me esqueça... Mas me embriagando de amor, sem que nunca seja pela última vez e terei, finalmente, os "olhos nos olhos" que sempre busquei, porque, pela minha nova lei, vou ser sempre feliz.