quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Eufonia

Ontem foi meu aniversário... Ganhei presentes, parabéns e muitos comentários. Enquanto escrevo estas palavras, observo minhas mãos, mãos já não tão jovens, mas ainda fortes, e sinto nos dedos o vaivém de tantos medos, de tanta sorte. A sorte de ser feliz, de descobrir a minha raiz e não olhar nenhuma cicatriz.
Ontem foi meu aniversário... Olhei para o futuro e vi que o tempo não é meu adversário, mas sim um aliado. As palavras, escrevo com mais facilidade. Vejo em minha poesia mais docilidade, em minha vida mais amenidades e um que - muito além de querer - de muita felicidade.
Senti os anos passados e pensei em todos os fatos. Vi-me ainda menina, feia e magricela, olhando a vida pela janela, sonhando ser uma linda donzela. Então cresci e descobri os amores singelos e os amores sem pudores. Descobri que lutar faz parte e que descansar é uma arte. Descobri o valor de uma carta e o bem que fazem as palavras. Descobri cultura nos livros e vida nos rostos de todos os tipos.
Ontem foi meu aniversário... muitos e muitos anos passados, muitas estórias contadas, muitas dores saradas, tantas alegrias, cores e vida em forma de eufonia.
Observo ainda minhas mãos... Pensando bem, são mãos ainda jovens. Têm muito por fazer, tenho muito a aprender, muito ainda quero querer.
E assim, espero que o ano demore a passar, que a vida me mostre muito para contar, que eu não fique mais velha, mas mais experiente, mais sábia e menos impaciente, e minha vida sempre nas minhãs mãos...