segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Descobertas de Hoje

Hoje me dei conta da Morte... Uma senhora inteligente e cínica.
Descobri a Morte no olhar interrompido, nas palavras não ditas, no gesto sem gesto, no pensamento louco, desatinado, no sonho não realizado...
Mas descobri também que depois disso vem a Vida... Essa sim uma senhora vibrante, cheia de cores e sons, cheia de desejos e mistérios, cheia de intensidade...
Descobri que depois do olhar interrompido, vêm as cores reveladas, das palavras não ditas, o ensejo de um beijo, do gesto sem gesto, um abraço fraterno, do pensamento louco, um doce desejo e do sonho não realizado, a fortuna segredada ao pé do ouvido.
Descobri a Vida no olhar quente do Sol teimoso que, fugindo das Nuvens tristes e chorosas, veio queimar minha pele branca... Descobri a Vida na lambida úmida do mar nos meus pés descalços, na risada da menina furando com graça a espuma da onda brava, no som dos pássaros voando aflitos em busca do peixe distraído...
Descobri Vida na chuva louca, molhando sem pena as cabeças nuas de quem corria apenas para abraçar o amigo no dia festivo da morte do Ano... O velho Ano cansado que, já não tendo futuro, entregou os pontos e foi para o túmulo, dando lugar a um lindo bebê chamado Ano Novo.
Ainda é cedo para dizer como vai ser este menino recém nascido, mas sei que Vida ele tem e muita... Só não se pode piscar muito forte, pois então ele já será um adolescente e, numa outra piscada, já será um velhinho à espera do final... Até lá, espero muitas cores, muita fortuna, muitos gestos largos e afetuosos, muita esperança nos dias quentes onde o Sol é o rei e as Nuvens a benção mais que desejada, muitas palavras lindas, cheias de amor e paz e todos os desejos loucos e ardentes...
Hoje, me dei conta da Vida... Uma senhora linda e jovem.