sábado, 24 de março de 2012

Banho de Espuma

Eu queria ser como uma personagem glamourosa que dorme e acorda maquiada e está sempre vestida com lindos vestidos e maravilhosos sapatos. Banheiro? Só se for para um banho maravilhoso numa banheira linda, daquelas tipo garra de pé e bem antiga e chique.
Ah! Eu poderia mexer o nariz e a minha casa estaria limpinha num instante, a comida cheirosa em cima do fogão, seria um convite a uma bela refeição e os armários estariam repletos de roupas bem passadas e organizada.
Mas, sou uma mulher da vida real... Levanto todas as manhãs com os cabelos despenteados e, caso tenha preguiça de tirar a maquiagem à noite, acordarei com os olhos borrados. Minha casa? Bem, se aos sábados não a limpo... Quanto às roupas, eu mesma tenho que organizá-las para lavá-las e para guardá-las depois que Janice as passa às quartas feiras. Gosto de cozinhar, mas só quando posso ou quando não estou tão cansada que um sanduichinho mais ou menos e uma xícara de café com leite à noite resolvem o meu problema, porque meu café da manhã, quase sempre, é digno de nota dez e o meu almoço, uma cortesia no meu trabalho, é bem razoável.
Hoje é sábado... Limpei minha casa e pus minha máquina de lavar roupa para trabalhar. Grande invenção esta! Terminei tudo e olhei-me no espelho. Meu Deus! Estava longe daquela mulher glamourosa que idealizei. Meu vestidinho de fazer limpeza estava grudado em minha pele, molhado de água e suor, o mesmo que escorria devagar do cabelo ao pescoço e do pescoço para o resto do corpo. Ai aquela banheira... Sonho com ela, que não tenho, sentindo o cheiro da espuma abundante e a temperatura tépida da água. Tiraria aquela roupa molhada do meu esforço e cansaço e entraria devagar naquela água, aproveitando cada sensação que o banho poderia me proporcionar... Ficaria ali, massageando minha pele com uma deliciosa esponja e, quando saísse de lá e me enxugasse com a toalha felpuda e macia, encontraria mãos quentes e grandes para passar-me o óleo cheiroso por todo meu corpo.