segunda-feira, 5 de março de 2012

Caras...



Não faças este teu olhar
Que por nada me faz corar...
Faço então fácil para ti
Uma simples cara sei lá de que

Então me digas aquelas palavras
Só para mim, tão frias e tão quentes
O poema doce que em mim lavras
Tu que és meu, tão lindo, tão atraente

Não farei para ti, sei que não queres
Aquela estranha cara de Monalisa
Mas aporei por aqui, como poetisa
Minha mais singela palavra amiga

Farei sempre para ti, porque quero
Tudo o que de mais te agrades
Estarei sempre aqui onde te espero
Com toda aquela mesma ansiedade