quinta-feira, 8 de março de 2012

Mãos Marotas

Eu gosto dos gostos vermelhos
E o gosto das cores azedas
Gosto dos cheiros no espelho
Adoro o toque da fria seda

Embolo-me nos meus pensamentos
Enredo-me nos meus desejos
Um desejo de uma simples visão
Sem querer nenhuma razão

Adoro aquele sorriso farto
O olhar sem vergonha e largo
Quero um abraço bem apertado

Onde ficam mãos marotas
Senão em cima da pele devota
Devotamento que nunca se esgota

Foto de Yuri Bonder