terça-feira, 20 de março de 2012

Outono

Abri a janela e senti o vento. Era um vento fresquinho, quase gelado que me trazia um cheiro bom de folhas amarelas e terra molhada, molhada do orvalho que caiu durante a madrugada. Respirei fundo, sentindo o Outono entrar para dentro do meu corpo como um invasor bem vindo, um amante esperado com ansiedade para me dar todo o prazer que mereço.
Dei-me conta de que finalmente acabou o calor. Aquele calor sufocante, sempre me incomodando, me impedindo o sono, me grudando a roupa na pele e me tirando a vontade de quase tudo...
Vesti então o vestido vermelho, calcei as botas pretas - prêmio para o primeiro dia de Outono - engoli o café com leite e saí correndo. Aquele breve momento de contemplação me atrasou. Enquanto andava, espiava as casas vizinhas em seu momento de acordar. Pessoas saindo, algumas de carro e outras a pé como eu, mal se deram conta de que o tempo mudou, os cheiros eram outros e as cores mais amarelas eram as que estavam em toda a volta. Apenas eu parecia estar aproveitando.
Andar a pé hoje foi um exercício de prazer. Comecei a pensar no desejo que mais queria realizar, aquele que cultivei por todo Verão: sentir frio. Está bem próximo agora, o que me faz sentir certo frenesi. Sonho com o momento de vestir meu enorme pijama de flanela quente, com a manta fofa e quase pesada e calçar minha linda pantufa de ursinho... Ah Inverno! Época dos abraços e beijos quentes, época das reconciliações, encontros e reencontros, época dos sonhos mais doces e coloridos...

 

4 comentários:

  1. Torço pela sua reconciliação com tudo!

    ResponderExcluir
  2. Ah, Su, como eu queria que aqui tivéssemos, no mínimo, um semblante de inverno. Os dias são sempre quentes, tórridos. As noites, cheias de mormaço. Que você consiga aproveitar todo esse clima bom do outono.

    De minha parte, peço apenas que não chova. O sertão não lida nada bem com chuvas.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabrício

      Sonhe! Em seu sonho, procure uma fonte
      Nela jogue a moeda e deseje um horizonte
      Um horizonte de bem estar,
      Sem chuva, sem calor e com muito mar
      De repente tudo vira verdade...
      Bjusss

      Excluir
  3. OI Su! Que lindo é ler seus escritos!!!!Dá uma saudade de também fazer os meus e fico pensando cada qual com sua arte e mais que nunca as coisas vão fluindo como deveria ser!
    Te adoro e adoro o que você faz! Quê saudades.... Sua irmã....Beijos...Gina.

    ResponderExcluir

Comente. Vou adorar ler.