terça-feira, 8 de maio de 2012

A Experiência

Está certo então... Já estava na hora.
Tantas pessoas o fazem, porque eu não faria? Ninguém se envergonha por fazê-lo e eu me sinto meio ultrapassada, como se fosse a única no Universo a ter pudores. Mas, como explicar esta súbita mudança? Que explicação daria caso alguém descobrisse? Que bobagem... Quem descobriria? Bem, se quase todas as mulheres acham isso o máximo, se o prazer que proporciona é mesmo maravilhoso, porque eu ainda tenho reservas?
Comprei o que queria e levei para casa. Olhei a embalagem curiosa, abri-a e experimentei a textura, senti-lhe o cheiro - agradável, eu diria e, respirando fundo, preparei-me. Estava nervosa e excitada. Qual seria o resultado? Perguntei-me.
Passei a mão pelos cabelos, quase desistindo, mas já havia tomado a decisão. Calcei as luvas de borracha, molhei os cabelos com água fria e iniciei o processo. Algumas gotas teimosas escorreram pela pele do meu rosto, mas não liguei. Sorria encantada antevendo os resultados. Quando julguei que tinha terminado olhei em volta. Nossa! Meu banheiro estava todo respingado. Peguei rápido um pano e pus-me a limpá-lo. Não queria vestígios... Esperei os quarenta minutos que mandava a bula. Ansiosa, meti-me embaixo do jato de água morna do meu chuveiro e me assustei com a cor da água que começou a escorrer pelo meu corpo. Fiz o que precisava fazer e pronto! Fechei a torneira e peguei a toalha - uma bem velhinha e escura, conselho de uma amiga. Enxuguei-me bem e sequei os cabelos com o secador. Só então tive coragem de me olhar no espelho. Meus cabelos ficaram lindos, brilhantes e, o melhor, não tinha mais os cabelos brancos de antes. Santa hena... Adorei a experiência. Minhas amigas tinham total razão sobre o prazer que isso me daria. Mas, da próxima vez, vou a um salão para que uma boa cabeleireira faça o trabalho sujo por mim... risos.