segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Instante de Amor



Um instante...

Apenas um breve instante
Em que sentimentos se misturam...
Raiva, mágoa, amor, alegria...
Relances instáveis de uma carnavalesca alegoria.

Sonhos que se realizam
Desejos que se intensificam
Em madrugadas quentes... Ou frias.

Um instante...

Um simples momento onde a paz se esconde
Como se a vida fosse um grande e negro monte
O Sol invisível e estrelas reluzentes
Atrás de nuvens raivosas e gordas
Gritam o pecado contido
Nas bodas da tímida Lua com o garboso Sol

E os olhos procuram solenes as luzes de um farol
O brilho insano do facho circulante de luz
Iluminando incansável, do mar, as ondas incessantes.

Um instante... 

Aquele rápido instante do gozo eterno
Da vida estanque a observar de um palanque
O voo louco sobre o doce inferno

Um instante...

Um longo instante de suor e que nada tem a seu favor
A não ser a criação de um jovem autor.
Apenas um instante de amor, de dor, de calor...
Num instante e lá se vai a paz
A paz interior que os olhos não podem transpor

Um tímido, mas irrefutável vencedor... Apenas amor.