quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Amor Perfeito

O beijo mais que perfeito
É um tomado por direito
É um que nos deixa satisfeitos
Sem temores e com muito respeito

O amor mais que profundo
É um que brota num segundo
É um que cala o coração no mais profundo
Um que é o mais fecundo

Abrace o mundo, mas abrace-me antes
Pois, p'rá você torno-me gigante
Mostro-lhe o unguento refrigerante

Ansiedade, encontro a verdade
Saudade que se torna pura ansiedade
Pois seu cheiro paira sobre mim




5 comentários:

  1. Maravilhoso soneto, e bela definição do beijo.

    ResponderExcluir
  2. Suzana,

    Você constantemente me surpreende: a forma de soneto é a mais difícil das formas poéticas! Meus parabéns!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Há uma pureza nos versos, uma magia no soneto, que não podem deixar indiferente!
    Gostei imenso!

    ResponderExcluir

Comente. Vou adorar ler.