terça-feira, 25 de setembro de 2012

O amor começa numa metáfora

Ouço sua voz como era outrora
Sinto sua luz iluminando vida afora
Vislumbro então uma linda aurora
Por que sei como és agora

Tinha tantas coisas para dizer
Não quero que esta distância
Faça o meu coração temer
Que tu te despeças com elegância

Quantas saudades sinto dos tempos
Daqueles recheados de lembranças
Época em que todo pensamento era de abundância

Dize-me sempre palavras tão doces
Que abrandam meus pensamentos amargos
Qual a guloseima que em mim derramas