sábado, 8 de setembro de 2012

Voz

Perguntaram-me como era a minha voz. Talvez fosse surdo, não sei, mas o fato é que pediu-me uma descrição. Pensei muito nesta resposta, porque não tinha o hábito de pensar na minha voz como uma coisa a ser descrita...
Bem, de tanto pensar, brotou-me na mente algo de que me lembrava vagamente, uma espécie de ruído num túnel de eco...
Acho que uma boa definição seria algo parecido com isso: minha voz é carregada de todos os sonhos que ainda não vivi, das esperanças de vive-los, das alegrias que tenho, das alegrias que terei e de uma vontade férrea de ser feliz. É um tanto suave, quando estou calma, torna-se mais grave quando me aborrecem, mas sempre disposta a fazer rir, não chorar. Minha voz não serve muito para o canto, embora eu adore cantar. Dizem que sou soprano, mas é difícil acreditar... Estou é mais para taquara rachar...
Então, se isso servir de descrição, é assim que que acho que é minha voz.