quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Raiva

É uma tarde cinzenta, como cinzentos estão meus pensamentos. 
Penso em tantas coisas e, no final, não sei de nada. 
Onde estão as cores que me abandonaram? 
Onde estão os risos e as vozes de tantos dias ensolarados? 
Porque a chuva não cai logo e limpa de mim a indolência e a apatia? 
Porque?
Hoje não quero sorrir, não quero comer, muito menos dormir. 
Hoje não quero andar, não quero ouvir, muito menos conversar.
E nem posso chorar
Hoje estou com raiva. 
Raiva de mim por ser o que sou, por não resolver 
sozinha o que sei que só eu posso resolver... 
Tenho raiva de não pensar e de pensar demais. 
Tenho raiva de esperar demais
Tenho raiva de esperar de menos
Olho para fora e só sinto o cheiro doce de terra seca
Onde está a chuva que não cai de uma vez?
Vem logo chuva!
Vem me trazer paz
Traz de volta as cores e as vozes
Vem logo, vem...