sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A Minha Alma





Mova, por favor, a minha alma
Tire o que resta de minha calma
Seja, de mim, o meu amor
E canto para si toda minha dor

Traga-me depressa seu ouro
Para ser meu, meu tesouro
Traga-me também suas chamas
Deixe-me ser a sua dama

Sonho com fontes e relvas
Seja meu tudo na vida
Pois sou sua prometida
Ainda que quase escondida

Seja o sol que me aquece
Seja meu gemido, meu silêncio
E todos os meus desígnios
Quando grito, da vida um suplício

Olhe-me com amor, eu preciso
Enxugue com calma minhas lágrimas
E ainda canto, com improviso
Não vou contar nenhuma lástima