sábado, 2 de março de 2013

Quando a chuva cair

Lembra-te de mim
No cheiro da terra molhada,
No jasmim cheiroso,
Meu perfume mais ditoso,
No brilho das folhas molhadas,
Na água acumulada,
Nas poças negras e nefastas...

Quando a chuva finalmente cair
Estarei sorrindo
E de lá para cá continuarei vindo,
Meu caminho, minhas pegadas
Invisíveis nas calçadas...

Quando a chuva então cair,
Lembra-te do sol e da sua quentura brilhante,
Não te enganes com a claridade,
Ela pode vir sem nenhuma humildade...

Quando a chuva cair
Estarei sorrindo dentro de ti
Marcada a ferro em teu coração
Cantando feliz uma linda canção.

E depois que a chuva cair
Terei então min'alma lavada
Meus pensamentos clareados
Meus desejos como abraços apertados
Então, vem chuva... De novo.