sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Eu queria saber melhor

Era apenas uma gota que escorria desavergonhadamente pela minha pele. Depois dela veio outra e mais outra... meus lábios tremiam enquanto mais dessas gotas sorrateiramente entravam pela minha boca. Seu gosto era salgado, o que me fez lembrar de muitas coisas. Quando dei por mim, meu corpo inteiro tremia e não apenas minha boca. Queria falar, mas o nó na garganta me impedia. Tinha vontade de jogar p'rá longe aquilo que me causava tanta dor. Ah! Se eu pudesse...
Olhava aquele brilho morto e as formas difusas me confundiam. Meus olhos turvos pelas lágrimas insistentes mal acreditavam no que estava acontecendo. Queria que tudo fosse diferente, que as coisas mudassem, que eu pudesse consertar o que sei que eu mesma estraguei.
Mas, apesar de tudo, sabia que havia uma luz que me dizia que tudo ia acabar bem. Então, enxuguei meu rosto e respirei fundo. Só mais uma vez, repetia para mim mesma.
De repente, vi que havia um íconezinho bem pequenininho, uma carinha marrom ao lado da estrelinha. Cliquei lá e descobri que havia problemas com os cookies. Bloqueei tudo e... Voilà! Meu querido blog estava de volta à ativa e toda minha frustração de semanas foi embora como num passe de mágica. Ainda bem... Descobri que o defeito do meu computador era mesmo a "pecinha" na frente dele... risos.

7 comentários:

  1. Ahahahaha...Rindo muito!!! Voce tem uma capacidade incrível de nos envolver em situações pequenas.
    Eu adoro isso! :-)

    ResponderExcluir
  2. Ai que bom que você gostou. Bjussssss

    ResponderExcluir
  3. Olá Suzaninha!
    Bela a forma encontrada para manifestares a tua inquietude, pelo teu navegador não dar à costa, e o teu regozijo quando o safado talvez de sereias farto, decidiu para o teu meio regressar. :)
    Como sempre, adorei a tua narrativa.
    Um abraço muito amigo.

    ResponderExcluir
  4. Su,

    Mesmo que tenhamos uma certa competência com o instrumento, o computador sempre tem o condão de nos meter em enrascadas. Lidar com ele é um enfrentamento constante.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me diga Fabrício! Tive minha cota de incompetência por muito tempo... afff

      Excluir
  5. SU PALANTI,

    sou seu novo seguidor e exatamente neste mágico momento, no qual a tecnologia não conseguiu derrubar suas esperanças de sobrevivência virtual.

    Um motivo a mais para acreditarmos que afinal, devemos ser profundamente cuidadosos e competentes com as nossas pecinhas da frente. (rs)

    Vou gostar daqui.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja muito bem vindo à minha "casa" Paulo. É sempre um grande prazer saber que gostam do que escrevo.
      Um abraço meio paulistano e meio carioca (que também sou do Rio).

      Excluir

Comente. Vou adorar ler.