terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ai calor....

Você me enfeitiçou...Entrou devagarinho para que eu não assustasse. Causou um grande arrepio e me rogou, rogou que eu nunca o deixasse. E eu pensava em todo o furor...
Ai calor... Enquanto me enlaçava com seu hálito quente, eu começava a ficar bem incoerente. Você fez com meu corpo, toda minha pele, uma grande panela a vapor. E eu suava e nada podia lhe aplacar. Já nem podia pensar. Então desisti e me entreguei, porque nunca quis, sobre isso, meditar. E me entregando, descobri que não me acalmava, ao contrário, só me torturava... Ai calor... Olhei para o céu quase desanimada... Eu só queria uma pedrinha de gelo, para passar pela minha pele e uma boa chuva para refrescar todo este tormento... Quando vai ser de novo o inverno?


2 comentários:

  1. Ai Suzaninha, Suzaninha! Só estamos bem onde não estamos, não é?
    Uma maravilha de texto e, quanto a mim, com dupla interpretação. Queres que traga à tona a do meu mais agrado? Posso? Estou a imaginar-te a com um sorriso brejeiro a dizeres que sim. Então lá vai:
    Ó que magnifica e trabalhosa cena de sexo! E com um climax que não sei que te diga, que te levou a desejares um período de acalmia, isto é, de arrefecimento. :)
    E foi assim...
    Amiguinha, um aluvião de abraços.

    ResponderExcluir
  2. Quando pensava que era uma coisa e era outra... Voce é uma feiticeira que com sua prosa nos faz encantar, até cairmos na risada quando a mesma acabar. Abraços escritora! :-)

    ResponderExcluir

Comente. Vou adorar ler.