quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Minha estranha voz de mulher


Então estou novamente por aqui. Continuo, como sempre, a ouvir os sons mudos e ver as cores invisíveis. Continuo a ouvir o brado constante dos meus sonhos e o cansaço dos músculos que não mexo. Continuo por aqui a querer o que não posso e a ter o que não quero... Continuo sendo teimosa e fazendo o que me dá vontade, falando o que me vem à boca e sorvendo o que me dá prazer. Contradições? Claro! E quem não tem suas contradições?
Eu ainda sonho com um grande castelo rodeado de belos jardins e um fosso... cheio de peixes ferozes. Sonho com um lindo cavalo branco montado por um... Não... Acho que não... Essa coisa toda das fábulas é irreal, bom demais para ser verdade... Mas estou contente com o que tenho de verdade, com o meu castelo nada imponente sem jardins maravilhosos ou fossos cheios de peixes ferozes. Bastam os meus vasos lindos de plantas que eu mesma cultivo, a minha cachorrinha "feroz" que late o suficiente e as pessoas tão complexas e difíceis que fazem da minha vida um mar de paradoxos...
Estou pronta para mais um ano... Um ano cheio de aventuras, de histórias, de alegrias, de tristezas... Quem sabe este ano eu consiga mais do que eu tive no passado, eu grite com mais força o que me vem à boca, receba mais abraços e beijos na boca - ups! - eu ouça mais sons e que eles não sejam tão mudos e que as cores sejam vivas e lindas.
Continuo por aqui falando pelas letras inefáveis de que tanto gosto, minha estranha voz de mulher...