domingo, 18 de maio de 2014

Estava sonhando...

E abri os olhos de repente. Senti frio e vi que estava sem cobertas. Olhei para a janela e senti o sono da noite que ainda ressonava seus chuchurreados. No escuro do meu quarto procurava pelos poucos focos de uma luz conhecida e não encontrei. Estava sonhando com você. Que pena que acordei. Porque sempre acordo quando o melhor do sonho poderia acontecer?
Fiquei muito tempo lembrando do sonho e construindo alguns finais para ele. Na minha imaginação cabiam várias histórias e todas elas me remetiam a felicidade. É bom sonhar.
Cansada, virei para o lado, na minha cama fria, e tentei dormir de novo. Os sons da noite, aos poucos se transformavam em murmúrios de despertar. Abri os olhos e voltei-me para as frestas da janela. Já podia sentir que o sol estava abrindo os olhos e aproveitei para despertar daquele torpor definitivamente. Estiquei meus braços e pernas e a força que fiz me fez produzir um som engraçado que me fez sorrir. Levantei-me e abri a janela, para assistir o nascimento de mais um domingo... Lembrei-me de novo do meu sonho e acabei escolhendo, entre tantos, um final para ele. Sorri de novo com a minha decisão e senti o calor amornado que o meu pijama de flanela me proporcionou. Decidi que passaria algumas horas vestida nele, até que o calor do sol pudesse me aquecer sozinho.
Queria que você estivesse ao meu lado para me abraçar como no meu sonho...

Imagem do fotógrafo Diogo Ramos

3 comentários:

  1. Suzaninha, li e reli a tua estorinha. E pós isso cabe-me dizer-te que a achei deliciosa. Porque assim, congeminei um poema curto, mas de estrofe longa :) como comentário à citada estorinha.

    O comentário:

    Aquando de um sonho de sono saímos,
    sem termos o que quem sonhámos, ao lado,
    em lugar frio e vazio nos sentimos.
    Bem melhor seria não termos sonhado.

    Muitos abraços, Suzaninha.

    ResponderExcluir
  2. Emocionante, Suzana!
    Ficou preso na garganta aquele nó da saudade...
    Muito obrigada por este momento perfeito!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Nós não escolhemos os sonhos, o que podemos escolher é o final dos mesmos ao acordar...muito obg pela partilha

    ResponderExcluir

Comente. Vou adorar ler.