segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Ela chegou...


Então ela chegou, toda bonita e faceira 
Com perfume de flores e cores de feiticeira
Uma bela mulher alegre e matreira
De voz suave e de belas maneiras

Era linda e esperada, mas estava fria e úmida
E também um tanto arrependida
Do tempo demorado, da longa espera árida
De aura clara, com o sol sempre unida

Mulher-mãe de belas formas 
Vidas novas que da terra desenforma
Sopro de vida que a luz irradia

Primavera este é o seu nome
Mata de nós a incrível fome
Fome de água, de comida, de amor...