quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Soneto para Kica




Uma doce e linda  mulher menina
A voz calma, olhar intenso e sorriso farto
Amizade de primas, sem qualquer rotina
De amor fraterno e eterno em nada parco

Dança dançarina! Voa doce prima!
Para além de seus limites, além dos sonhos
Nunca mude, é perfeita sua matéria-prima
Seja sempre a querida amiga, eu que ganho

Para além destas poucas linhas
Escrever, para mim, é mais fácil que falar
E queria dizer muito mais do que nestas rimas

Que a distância física entre nós desapareça
Que possamos nos abraçar e sorrir como sempre
E que possamos nos ver com mais frequência